Enacom: 7 anos

No dia 21 de agosto a Enacom comemorou 7 anos de sua fundação. Nesse momento de celebração da empresa, vamos revisitar alguns momentos que foram essenciais para o grupo se consolidar como referência em inovação no mercado.

A Enacom nasceu de um sonho em fazer pesquisa e inovação para atender demandas do mundo. “Creio que esse deveria ser o propósito de todas as empresas, cada uma em seu setor” é o que pensa Adriano Lisboa, um dos sócio fundadores.

Os primeiros passos foram dados no Pós-Doutorado do Douglas Vieira e do Adriano, na Universidade Federal de Minas Gerais. Partindo das bases tecnológicas que eram especialidade de ambos, e que permanecem na empresa até hoje – otimização, modelagem e inteligência computacionais – eles iniciaram os trabalhos, que desde sempre teve uma ligação essencial com a UFMG.

Entretanto, como o início de todo empreendimento, o trabalho era árduo. Os empreendedores tinha que cuidar de vários assuntos para manter a empresa: lidar com os trâmites fiscais e jurídicos, emitir nota fiscal, desenvolver artigos científicos e novos conceitos, implementar códigos, prestar contas e realizar as vendas. “Empreender é ganhar super poderes. O super poder de achar como pagar as contas no final do mês. O super poder de tropeçar e usar como parte da coreografia”, analisa positivamente Douglas Vieira.

Em seguida vieram os primeiros projetos com as grandes empresas do setor elétrico: Cemig e CTEEP foram as pioneiras. Pessoas chave se juntaram a empresa, o que desencadeou em um novo segmento: a Enacom Mobile. A relação com a UFMG se manteve, até hoje vários alunos desenvolvem pesquisas de mestrado e doutorado na Enacom. A lição que fica é que empreender é empoderar o indivíduo: nesses 7 anos, a Enacom se manteve alinhada à sua missão de transformar ciência e tecnologia em valores para a sociedade, e mais do que isso, firme na sua crença de que a empresa é feita por pessoas e para atender às necessidades das pessoas. O percurso ainda não terminou, e essa data é o marco de novos tempos que virão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *